Os investigadores da Delegacia de São José dos Pinhais ainda não têm pistas dos supostos policiais responsáveis pelo seqüestro de três adolescentes e pela execução de dois deles, na última segunda-feira. Na manhã de ontem, o pai de um dos jovens assassinados reconheceu o corpo do filho no Instituto Médico-Legal (IML).

De acordo com o superintende da delegacia local, Altair Ferreira, o garoto conhecido por "Bandi" foi identificado pelo pai, Pedro Moraes, como Adriano Moraes, 17 anos. O homem contou aos policiais que seu filho estava apreendido na Delegacia do Adolescente por assalto e que havia saído na sexta-feira, mediante portaria, devendo retornar à delegacia na segunda-feira. Familiares do outro adolescente assassinado, conhecido por Eduardo, ainda não compareceram no IML para fazer o reconhecimento do corpo. Já o sobrevivente, Eliemerson Oliveira Almeida, 17, continua internado no Hospital Cajuru.

Segundo Ferreira, os investigadores já começaram a entrar em contato com pessoas que tiveram seus carros roubados nos últimos dias, na tentativa de encontrar quem recebeu os supostos policiais com as vítimas, para reconhecê-las. Na tarde de ontem, Eliemerson foi novamente ouvido pelos investigadores, com o intuito de recolher outras pistas que levem até os assassinos.

Crime

Eliemerson, Adriano e Eduardo foram seqüestrados na noite de segunda-feira, no bairro Pinheirinho, quando trafegavam com um veículo Monza. Com passagens pela polícia por roubo de carros, eles foram levados por quatro homens, que se intitularam policiais, até a casa de uma vítima de roubo. Lá, o homem que teve seu veículo roubado não os reconheceu como sendo os assaltantes. Mesmo assim, eles pagaram pelo crime.

O trio foi levado, algemado, até a Estrada de Campo Largo da Roseira, em São José dos Pinhais. Na madrugada de terça-feira, os três foram baleados na nuca, com tiros de pistola ponto 40 e 9 milímetros. Mesmo ferido por três disparos, Eliemerson conseguiu andar e pedir ajuda, sendo levado consciente pelo Siate ao Hospital Cajuru. Os corpos de Eduardo e Adriano foram encontrados na manhã de terça-feira.

Corregedor está no caso

Valéria Biembengut

A Secretaria de Segurança Pública designou o delegado Agenor Salgado Filho, da Corregedoria da Polícia Civil, e policiais militares do serviço reservado para acompanhar o inquérito sobre a execução dos dois adolescentes e ferimento em outro, que está sendo presidido pelo delegado Osmar Dechiche. O motivo da determinação é que se cogitou o possível envolvimento de policiais no caso. Ontem à tarde já havia sido apurado o nome de um suspeito.