Fábio Alexandre
Corpo de Moacir foi encontrado pelo irmão, ontem à tarde.

O irmão do técnico em eletrônica Moacir Laurindo de Oliveira, 28 anos, tomou um susto quando o encontrou morto, nu, caído na cozinha da pequena casa onde morava, no final da Rua Martin Pescador, 22, Vila Pantanal, Boqueirão. Moacir foi morto por agressão, possivelmente na noite de sábado para domingo. Levou pauladas na cabeça e nas costas.

A ausência de roupas, acreditam investigadores, pode significar que foi pego de surpresa, enquanto dormia. Suspeita-se que o autor seja um vizinho, morador quase em frente, que não foi encontrado para que fossem esclarecidas as suspeitas.

Acir Laurindo de Oliveira, irmão da vítima, conta que foi chamado por um vizinho para que fosse à casa dele. Possivelmente sentindo falta da movimentação de Moacir, os vizinhos suspeitaram que algo errado tivesse acontecido. Quando Acir abriu a porta do barraco do irmão, por volta das 17h20 de ontem, o encontrou sem vida no chão. Diversos objetos quebrados, incluindo as vidraças da casa, e muito sangue pelo chão e móveis, denunciavam que autor e vítima brigaram.

Acir contou que Moacir era uma pessoa boa. Do lado de casa tinha um cubículo, onde consertava televisores e rádios. Apesar de não usar drogas, tinha o vício do álcool e suspeita-se que numa dessas bebedeiras falou alguma besteira a alguém e por isso foi morto. Ele, inclusive, havia se desentendido algumas vezes com o vizinho.

Apesar das casas de madeira serem muito próximas umas das outras, ninguém admitiu ter ouvido barulho estranho vindo da casa do técnico. Moacir morava com a esposa. Mas por causa de suas bebedeiras, a mulher saía de casa nos finais de semana para não vê-lo embriagado. Mesmo assim, disse Acir, a mulher não o abandonava por amá-lo muito. Acir descartou qualquer hipótese de a esposa estar envolvida no crime. Os investigadores Robert e Melo, da Delegacia de Homicídios, estiveram no local coletando as informações iniciais para as investigações.