Foto: Alberto Melnechuky

Emerson e Marian viviam juntos há cerca de dois meses.

?Estraguei minha vida, matei a minha namorada. Chame a polícia, que vou sumir.? Estas teriam sido as palavras de Emerson Zaziscki, 30 anos, ao telefone com familiares, logo após atirar à queima-roupa no queixo de Marian Urbes Xavier dos Santos, 28 anos. O crime foi cometido na casa da vítima, na Rua Humberto Mattana, no Capão da Imbuia, no início da madrugada de ontem. Após o tiro, o autor sumiu e não foi localizado pela polícia.

Ainda não se sabe o que levou Emerson a matar Marian. De acordo com conhecidos do casal, os dois estavam junto há dois meses e passaram a tarde de domingo na casa da mãe dele. As informações são que eles teriam se divertido e ninguém notou nada de diferente nas atitudes do homem. Familiares ainda garantiram que ele era uma pessoa calma e trabalhava em uma loja de veículos, na Cidade Industrial, onde morava.

Imagens

A polícia tem imagens do momento em que Emerson e Marian se encontraram, às 23h30 de domingo, na esquina da Avenida Juscelino Kubitschek com a Rua Eduardo Sprada, antes de irem juntos para o Capão da Imbuia. No vídeo, capturado por câmeras de segurança, Marian estaciona o carro da empresa em que trabalhava e entra no veículo de Emerson. Os dois seguem para a casa dela. Cerca de meia hora depois, ela era assassinada sobre a cama. De acordo com o perito Paulo Fontoura, do Instituto de Criminalística, a arma foi encostada no queixo da vítima quando foi disparada.

Logo após matar a namorada, Emerson ligou para um parente, contando o que havia feito. Porém, o motivo do crime é mistério. Surgiram comentários que Emerson estaria brincando com a arma e teria atirado acidentalmente, porém isso será apurado pela Delegacia de Homicídios. Familiares contaram aos investigadores que nem sabiam que Emerson tinha uma arma.