Chuniti Kawamura
Atropelamento
aconteceu na BR-277.

Mesmo com uma passarela para a travessia de pedestres 150 metros adiante do local onde estava, um homem que não portava identificação, com aproximadamente 35 anos, insistiu em atravessar a rodovia e morreu atropelado. O acidente foi por volta das 8h40 de ontem, na BR-277, quilômetro 67, próximo ao Posto Paris II.

Segundo o policial rodoviário federal Herbert, duas crianças andavam na passarela quando ouviram o barulho da batida e logo em seguida viram o corpo no asfalto. Eles disseram que tudo foi tão rápido, que não conseguiram identificar cor ou placa do carro, que fugiu do local sem prestar socorro à vítima. Disseram apenas que o veículo atropelador teria sido um Gol, fato confirmado pelo policial com as peças do carro encontradas junto ao corpo. "Recolhemos uma grade dianteira inferior direita quebrada e um espelho retrovisor direito caídos no asfalto. Ao fazermos a comparação, concluímos que seria de um Gol geração III. Também percebemos, pela distância entre as peças do carro e o corpo, que a vítima foi arrastada por 90 metros", explicou o policial. O homem tinha cabelos castanhos bem curtos (quase raspados), usava calça de moletom, camisa pólo azul marinho e chinelos de dedo. Moradores próximos não o reconheceram.