Apontado pela polícia como um dos maiores estelionatários do Brasil, João Djalma Prestes Júnior, 37 anos, está novamente atrás das grades. Ele foi preso na tarde de ontem, no Rebouças, por investigadores do 6.º Distrito Policial (Cajuru), que cumpriram mandado de prisão expedido em fevereiro.

Prestes é acusado de ser o líder de uma quadrilha que aplicou golpes milionários contra empresários de pelo menos seis estados. Ele já esteve preso por estelionato em 2008 e 2010. “Ele tem uma ficha de antecedentes enorme, com vítimas em todo o Brasil”, diz o delegado José Tadeu Bello. As investigações estão a cargo da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas.

Finanças

Golpes cometidos por quadrilhas supostamente lideradas por Prestes tiveram repercussão em todo o país e teriam rendido cerca de R$ 15 milhões aos bandidos. Especializados no mercado financeiro, os golpistas se apresentavam como funcionários de empresas internacionais, enganando as vítimas com ofertas de empréstimos com juros baixos ou operações financeiras de alta rentabilidade.

Em 2008, ele foi preso em Curitiba, por enganar pelo menos quatro empresários, que chegaram a ser levados à Espanha para assinar contrato com um falso banco.

No final de 2010, com o “golpe das debêntures”, a quadrilha supostamente liderada por ele teria lesado pelo menos 15 empresas, em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás e Minas Gerais.

Revolta

Supostas vítimas de Prestes criaram páginas na internet para denunciá-lo: http://maiorvigaristabrasileirojoaoprestesjr.blogs.sapo.pt e http://www.estelionatario joaoprestesjr.blogspot.com.