Foto: Ciciro Back/O Estado
Cerca de R$ 28 mil foram recolhidos pela polícia com o traficante.

Em menos de uma ano a história se repete. Dylan Demke, 22 anos, conhecido como ?Periquito?, foi preso por uma equipe da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), na Vila Nossa Senhora da Luz, em Curitiba, com meio quilo de crack e R$ 28mil. Ele foi encaminhado ao 8.º Distrito Policial e autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Em março de 2006, o sargento Pelosi, mesmo que efetuou a prisão na manhã de ontem, prendeu Dylan com um quilo de crack. Na ocasião, também foram apreendidas uma moto Suzuki, uma Parati turbo, R$ 6 mil e uma pistola nove milímetros.

Desta vez, o conhecido traficante não estava armado, mas a polícia encontrou dentro do Fiesta AJP-9827, cerca de 100 gramas de crack. Na casa de Dylan, dentro de uma caixa de sapatos, estava o restante da droga, dividida em pedras brutas, que depois de manufaturadas, resultariam em aproximadamente sete mil pedras.

?Estávamos em patrulhamento pela região da Praça Sete quando cruzamos com o carro suspeito. Tentamos uma abordagem, mas ele ameaçou uma fuga, conseguimos cerca-lo e logo identificamos que era o mesmo indivíduo que já havíamos prendido anteriormente?, disse o tenente Pelosi.

Vila

A Vila Nossa Senhora da Luz, que fica junto com a Cidade Industrial de Curitiba, é um dos bairros mais violentos da cidade em decorrência do tráfico de drogas, e que, inclusive, já resultou em várias mortes. Em março de 2002, a traficante Eva Antônia Silveira, a ?Evinha do Pó?, foi executada a tiros. Na época, Eder Souza Conde foi apontado como autor do crime, já que a vila era dividida pelos dois líderes que brigavam por pontos de tráfico. Eder foi preso no ano passado e outras pessoas assumiram o comércio da droga. A polícia aponta Dylan como um substituto dos chefes do tráfico na Vila.

O tenente disse ainda que Dylan explicou que o dinheiro seria utilizado para pagar o traficante que traz a droga de Foz do Iguaçu e possivelmente para adquirir mais entorpecentes e armamentos. ?Esperamos que desta vez, pelo fato de ele ser reincidente, fique mais tempo atrás das grades?, completou Pelosi.

O dinheiro e a droga apreendida foram entregues ao Centro de Integrado de Atendimento ao Cidadão, anexo ao 8.º Distrito Policial (Portão), onde Dylan, mais uma vez, foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.