O Governo do Estado informou nesta quarta-feira (7), por meio de sua assessoria de imprensa, que considera as negociações de reajuste salarial dos policiais encerradas.

O governo utilizará as tabelas que foram apresentadas à categoria na última quinta-feira (1) para elaborar o projeto de lei que encaminhará à Assembleia Legislativa do Paraná.

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, o governo atingiu o patamar que poderia chegar e que não tem possibilidade de ir além da proposta oferecida, sob pena de descumprir a lei de responsabilidade fiscal.

O governo afirmou também que ainda está elaborando o texto final do projeto de lei e que levará pelo menos 10 dias para apresentar a proposta que será apreciada pelos deputados.

O presidente da Associação dos Praças do Estado do Paraná (Apra), Sargento Orelio Fontana Neto, disse que, diante do posicionamento do governo, o próximo passo da categoria é dialogar com os deputados, na tentativa de sensibilizá-los de que existem falhas tanto na regulamentação do projeto de lei, quanto na tabela de reajuste salarial.

Fontana Neto disse também que não há possibilidade de greve por parte dos policiais militares, pois “as manifestações da categoria no sentido de tentar obter o que se está pedindo são organizadas, sérias e dentro do estado de direito, já que não temos a intenção de prejudicar a população”, completou.

Já o Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol) informou que o presidente do sindicato, André Luiz Gutierrez, está reunido com o secretário de Estado da Administração, Luiz Eduardo Sebastiani, para discutir a nota divulgada pelo governo.