Um adolescente identificado pelos amigos apenas como Giovani, 14 anos, foi assassinado com vários tiros na cabeça, às 16h de ontem, na esquina das ruas Engenheiro Costa Barros e Rotildo Pulido, Cajuru. A vítima fazia um lanche e morreu com uma coxinha entre as pernas e o sachê de ketchup numa das mãos.

O guarda municipal Rafael Santiago apurou que Giovani estava dentro da lanchonete, quando dois rapazes chegaram numa moto CG 150, que ninguém descreveu cor ou placa. O garupa desceu e, sem dizer nada, atirou no rosto do adolescente. Sete cápsulas de pistola 380 foram encontradas pelo chão. Giovani cambaleou e caiu na calçada. Apesar de haver muita gente na rua e outros clientes na lanchonete, ninguém quis descrever os assassinos.

Largado

Algumas pessoas apenas contaram que, apesar da pouca idade, Giovani morava ali próximo, longe da família, apenas com dois amigos. A mãe dele seria moradora em Colombo. Quem deu a informação ao guarda municipal também se resumiu a dizer que Giovani era boa gente.

Uma moradora, que se identificou como Maria, reclamou da violência. “Há dois dias teve outro assassinado nesta mesma rua, sem contar os outros nas redondezas. Nesse horário estou saindo de casa para buscar meu filho na escola. Como que eu vou passar por aqui e evitar que ele veja essa cena horrível? Já pensou se meu filho é atingido por bala perdida? É época de eleição e numa hora dessa não passa nenhum político aqui pra ver isso”, esbravejou a moradora.