O uso particular de carros oficiais é prática antiga na PM, conforme revela investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Cascavel, no Oeste do Paraná. A partir de denúncias recebidas por telefone, em 15 de abril de 2010, o Gaeco passou a monitorar o major Wellington Alves da Rosa, na época comandante do 19.º Batalhão em Toledo. O major usava o Honda Civic, ATW-1112, apreendido com 300 quilos de maconha e cedido em depósito judicial por uma vara criminal de Toledo para uso exclusivo do serviço reservado do Batalhão. Wellington se deslocava diariamente para a casa dele, em Cascavel, com o Civic, abastecendo na cota de combustível do 19.º BPM. Em três meses, consumiu 1.064 litros de gasolina.

Rastreado

Depois da denúncia, o Gaeco rastreou a viatura. O carro foi apreendido pelo coordenador do Gaeco de Cascavel, Sérgio Ricardo Cezaro Machado. Depois desse episódio, major Wellington ainda usou por algum tempo a Scénic AOJ-2202, também viatura descaracterizada da PM.

O promotor José Roberto Moreira, que avaliou o caso na área cível, explicou que o uso indevido de viaturas pelo major ainda está sendo investigado na própria vara. Segundo ele, o oficial admitiu que usava o veículo e alegou ter o direito de usá-la, inclusive com motorista. A demora no julgamento do caso foi atribuída à falta de pessoal.