O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) faz, desde o começo da manhã desta quinta-feira (8), uma operação para cumprir seis mandados de prisão, 12 de busca e apreensão e sete conduções coercitivas. A ação faz parte da terceira fase da “Operação Publicano”, que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual, envolvendo auditores fiscais e empresários.

O Ministério Público apura, nesta fase, o crime de lavagem de dinheiro. Além de todos os mandados de prisão e de busca, também foram cumpridos mandados de sequestro e arresto de bens (medida preventiva que consiste na apreensão judicial dos bens do devedor, para garantir a futura cobrança da dívida).

De acordo com o Gaeco, os mandados de prisão foram expedidos contra um fiscal que já havia sido preso e liberado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Também foram presos dois familiares do fiscal, dois empresários e um advogado.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Curitiba e em Londrina, no norte do Paraná. Já os mandados de condução coercitiva foram nas cidades de Londrina, Arapongas e Ibiporã.

Os bens que foram bloqueados são veículos e imóveis. Segundo o Gaeco, foram ordenados sequestro e arresto de embarcações, veículos, motos, equipamentos de uma lotérica, além de imóveis em Londrina e Porecatu e, ainda, valores em dinheiro. Os mandados foram expedidos pelo Juízo da Terceira Vara Criminal de Londrina.

Paraná Online no Facebook