Por um bom tempo, os cariocas não vão ouvir as rimas de Willian Santos de Souza, 40 anos, o MC Willian do Borel. Ele foi preso na segunda-feira, com um adolescente de 16 anos, em um ônibus que vinha de Foz do Iguaçu para Curitiba, escala na viagem do cantor até o Rio de Janeiro. Com eles, a polícia encontrou cerca de dez quilos de maconha, divididos em tabletes.

A droga foi descoberta durante abordagem de rotina da Polícia Rodoviária Federal, em Balsa Nova, no quilômetro 139 da BR-277, por volta das 17h30. “Durante a revista pessoal nos passageiros, encontramos com o adolescente dois tabletes presos ao corpo por um cinto. Logo em seguida, com o Willian também encontramos dois tabletes presos ao corpo. O restante da droga estava em uma mochila, no bagageiro do ônibus”, explicou o policial rodoviário Pires.

Desconhecidos

Levado à delegacia de Campo Largo, Willian alegou que não conhecia o menor e seria dono apenas dos dois tabletes encontrados com ele. Já o garoto afirmou que estava junto com o cantor, mas que ele não seria o responsável pela droga. Segundo a polícia, os tabletes encontrados com ambos tinham a mesma embalagem. O cantor foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Decadência

Willian viveu um momento de sucesso meteórico em meados dos anos 1990. Ao lado do MC Duda, ele lançou o “Rap do Borel”, que ficou famoso pelo refrão “Alalaô, alalaê”, adotado por torcidas de futebol em todo o país. No auge da popularidade, em 1994, ele se apresentou ao vivo no programa da Xuxa.