O acusado de tráfico de entorpecentes Joarês Medina da Costa, 32 anos, conseguiu fugir da polícia, mas não de um homem que foi até a casa dele para matá-lo. Procurado por homicídio, Costa foi assassinado às 4h de ontem, no quintal de sua residência, na Rua Maria Sobania, Jardim Maranhão, Araucária.

O assassino chegou ao portão de Joarês e o chamou pelo nome. Ele dormia com a amásia, que se levantou para ver quem era. “O autor mandou ela sair dali senão morreria junto”, disse o investigador Renault, da delegacia local, que atendeu o caso. Em seguida, a vítima foi morta com seis tiros. A mulher de Joarês disse que, devido à escuridão, não identificou o autor dos disparos.

Joarês tinha mandado de prisão pelo assassinato de Edílson Teixeira da Silva, conhecido por “Polenta”, morto com nove tiros na noite de 21 de junho do ano passado, no bairro Sangri-lá, também em Araucária. Logo depois do crime, o suspeito fugiu para Cascavel, de onde teria retornado há cerca de um mês. “Polenta era traficante de drogas, assim como Joarês”, disse o investigador, que suspeita de uma possível ligação entre os dois crimes.