Três menores surpreenderam o policial de plantão e promoveram uma fuga na cadeia de Quatro Barras, às 18h30 de domingo. Os adolescentes, que estavam em cela separada, agiram de forma violenta e dominaram o plantonista, abrindo as portas da cadeia e proporcionando a liberdade a outros seis detentos, todos maiores de idade. Nenhum dos nove foragidos havia sido recapturado até o início da tarde de ontem.

A cadeia de Quatro Barras, a exemplo de praticamente todas as outras da Região Metropolitana, sofre com a superlotação. No xadrez principal, com capacidade para oito presos, 25 estavam amontoados no instante da fuga. “Abrigamos detentos de Piraquara, Campina Grande do Sul e Colombo. Eles pensam em fugir durante as 24 horas do dia”, justificou o superintendente José Carlos de Oliveira. Houve seis tentativas frustradas de fuga nos últimos seis meses.

Jantar

Na tentativa bem-sucedida de domingo, o plantonista foi atacado quando servia o jantar aos cinco menores apreendidos na cela reservada. “Três deles voaram na grade e fizeram o policial cair”, contou o superintendente. Os menores passaram pela porta e permitiram a saída dos presos da cela maior – apenas seis quiseram escapar. Na fuga roubaram uma espingarda Winchester da delegacia – havia ainda uma escopeta que não foi encontrada pelos presos.

Os maiores de idade foragidos são: Jeferson Luiz Alves da Rocha e Valdir Martins de Oliveira, presos por furto; Adriano José de Lima, Dionísio Cléverson Rodrigues e Carlos Alberto Gimenez, por assalto, e Márcio Marciel, acusado de estupro.