Um seqüestro relâmpago para efetuar o roubo de uma caminhonete foi frustado pela polícia. O veículo, pertencente ao filho do deputado estadual Luiz Carlos Martins, o estudante Kaio Murilo Martins, 22 anos, tinha rastreamento por satélite e foi localizado em poucas horas pela polícia. Jair Honório de Oliveira, 42, e sua mulher Maria Geraci Trindade, 35, foram presos de posse da caminhonete no quilômetro 148, da BR-277, em Balsa Nova, quando se dirigiam para Foz do Iguaçu.

Kaio estava parado com a Ranger placa AYZ-2002 no Bigorilho, aguardando um amigo para ir para a praia. O jovem falava no telefone celular, quando foi abordado por cinco pessoas, que anunciaram o roubo. Do outro lado da linha, o amigo só conseguiu ouvir: “Vá para o banco de trás”. O telefone, então, foi desligado e o amigo do estudante avisou a polícia. Rapidamente, policiais Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone), do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Polícia Rodoviária Estadual iniciaram a operação para localizar a vítima e prender os marginais, guiados pelas informações de uma empresa de rastreamento de veículos por satélite.

Enquanto a polícia efetuava a perseguição da caminhonete, a vítima era levada pelos marginais para um sentido contrário. O estudante foi abandonado pelos bandidos na BR-277, próximo a Academia de Polícia do Guatupê.

De acordo com os operadores da empresa, a caminhonete trafegava pela BR-277, sentido Ponta Grossa. No quilômetro 145 da rodovia, pouco antes de chagar ao pedágio de São Luiz do Purunã, rumo a Palmeira, o cabo Cocco e o soldado Cleverson, da Polícia Rodoviária Estadual, abordaram a Ranger conduzida por Jair, que estava acompanhado de sua mulher e de uma criança de um ano. O casal recebeu voz de prisão e foi conduzido à delegacia de Campo Largo, onde foram autuados, apesar do crime ter ocorrido em Curitiba. Versão

Jair informou aos policiais que efetuaram a prisão que reside em Cascavel e que foi contratado pelo valor de R$ 200 para levar o carro até Foz do Iguaçu. Ele contou que o veículo lhe foi entregue próximo a fábrica da Coca-Cola, na BR-277, por um homem chamado Paulo. (Fábio Schaffer e Valéria Biembengut)