Diferente do que foi divulgado pela Secretaria da Segurança Pública (Sesp), com base em informações repassadas pelo delegado Alfredo Dib Júnior, da Delegacia de Homicídios, Edivaldo Cardoso Filho, 43 anos, não foi assassinado porque roubou objetos da casa de Paulo Roberto Fernando Rute, 29.

A família da vítima esclareceu que, na verdade, Edivaldo alugou um quarto da sua residência para Paulo. “Edivaldo já morava lá há cinco anos e, como estava desempregado, alugou um quarto para o seu algoz, que veio a matá-lo”, declarou Júlia Kotovicz, parente da vítima.

A informação equivocada foi divulgada pela Sesp durante apresentação à imprensa de Paulo e Angélica Vaz Cordeiro, 20, na Delegacia de Homicídios. Os dois foram presos acusados de terem praticado o crime.