Dois homens acusados de roubar carros em Curitiba e levar para estados vizinhos foram presos por uma equipe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) quando sondavam a próxima vítima no bairro Água Verde, na tarde de quarta-feira (7).

Kleber Diego da Silva, 25 anos, e Joelson da Silva, 36, estavam no Stilo prata, placas MLC-0440, trafegando próximo ao Shopping Água Verde, quando foram abordados pela polícia. A prisão finalmente aconteceu, depois de outras duas tentativas frustradas de campana e abordagem.

O carro em que eles estavam, financiado em nome de um “laranja” e que nunca teve as prestações pagas, foi citado em vários roubos de carros de luxo ocorridos desde o início do ano nos bairros Batel, Água Verde, Portão, Bigorrilho e Capão Raso.

“Eles sempre chegavam neste veículo para abordar as vítimas. Um fugia no Stilo, outro no carro roubado. Eles chegavam a levar cinco carros em um único dia”, explica o delegado Marco Antônio de Góes, titular da DFRV.

Os veículos eram deixados em ruas de pouco movimento para serem buscados outro dia, quando a polícia parasse de procurar, e então eram levados para receptadores em outro estado. Nesse período de espera, alguns dos carros roubados pela dupla foram localizados e recuperados pela polícia.

A equipe da DFRV conseguiu imagens do circuito interno de segurança de uma empresa que mostram como a dupla agia. No dia 23 de fevereiro, eles pararam o Stilo perto de um Focus preto, que estava estacionado.

O proprietário deixou o filho e o sogro dentro do carro para buscar alguma coisa, no momento em que os assaltantes chegaram. Nas imagens, os assaltantes puxam o idoso para fora do carro, e a criança sai correndo pela porta do outro lado. Um deles entra no veículo e os dois fogem.

Ficha

Kleber é de São Paulo, e Joelson veio da Bahia. Joelson já havia sido preso em 2008, acusado de integrar uma quadrilha que realizou oito assaltos a banco em Curitiba, mas fugiu do sistema prisional e voltou para a cometer crimes.

No momento da prisão pela DFRV, ele apresentou documentos falsos para que a polícia não soubesse de sua ficha criminal, e por este motivo ele também foi autuado por falsidade ideológica.