Chácara no Jardim da Ordem
serviu de palco para o crime.

O vício do crack tornou a presença do desempregado Sidinei Pedro da Conceição, 25 anos, insuportável para a própria família. Envolvido com crimes para comprar droga, o rapaz, um ex-travesti, foi assassinado e seu corpo encontrado às 8h de ontem, numa chácara com acesso pela Rua Dolores Guedes, Jardim da Ordem, Tatuquara. A palavra ?alívio? foi dita por familiares, descrevendo o sentimento pelo fim trágico de Sidinei.

O desempregado esteve na casa da irmã, Benira da Silva, 41 anos, no mesmo Jardim da Ordem, até as 18h30 de segunda-feira. Foi tocado de lá por ela. ?Esse menino só incomodava. Ficou doente da cabeça por causa da droga. Os vizinhos já agrediam a família, reclamando que ele andava roubando?, lamentou a irmã. Benira contou que, dias atrás, uma mulher ofereceu um quarto para Sidinei dormir. Na tarde seguinte, a vizinha apareceu acusando o rapaz de ter carregado peças de roupa dos filhos dela.

?Natasha?

A vítima não tinha moradia fixa e perambulava por residências abandonadas ou por um teto qualquer fornecido por alguma alma caridosa. Os parentes tentaram interná-lo para que se livrasse da dependência química, mas ele nunca mantinha o tratamento. Além de pequenos furtos cometidos no bairro, já recebeu dinheiro se prostituindo – a família contou que durante algum tempo ele se vestia como mulher e usava o codinome de ?Natasha?. Há cerca de três anos, chegou a ser baleado.

Sidinei foi executado com quatro tiros no rosto, e jogado num matagal a 100 metros da residência mais próxima. Vizinhos foram ouvidos por policiais do 13.º Batalhão e da Delegacia de Homicídios, mas ninguém disse ter presenciado o crime, provavelmente cometido durante a madrugada. ?Possivelmente, comprou droga e não pagou. É uma das linhas de investigação?, falou o policial Maurício, da DH.