Já dura uma semana o confinamento atrás das grades do ex-BBB Edilson Buba, 33 anos. A fama que conquistou durante o programa Big Brother Brasil não serviu em nada para amenizar a enrascada em que se meteu, pois não há previsão de quando ele vai voltar para casa. Ontem, os advogados de Buba solicitaram o habeas corpus ao Tribunal de Alçada, que deve dar uma resposta na quinta-feira.

Na sexta-feira passada, o empresário foi transferido da delegacia de São José dos Pinhais para o Centro de Observação Criminológica e Triagem (COT), o que o deixou bastante angustiado. O delegado da região metropolitana, Osmar Dechiche, disse que solicitou a transferência por temer que Buba fosse feito refém pelos outros presos, e porque sua permanência estava tumultuando a delegacia.

No COT a situação de Buba torna-se mais delicada, pois tanto a visita dos advogados quanto a dos familiares passaram a ser controladas. Hoje, ele foi atendido por médicos e psicólogos que estão realizando sua avaliação criminológica. O diretor do COT, José Guilherme Assis, informou que não há previsão de quando o empresário será recambiado para uma unidade penal de presos provisórios.