Após período de investigação, policiais da Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) conseguiram identificar, em Curitiba, um aluno da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) que utilizou o site de relacionamentos Orkut para fazer um perfil falso de um professor.

Os policiais do Nuciber pediram a quebra de sigilo de dados cadastrais para a empresa Google Brasil Internet Ltda, que informou que o IP utilizado para a criação da conta tinha a Brasil Telecom como provedora.

De posse da informação do provedor, os policiais conseguiram localizar o dono da máquina utilizada para criar a conta falsa. Após contato com essa pessoas, descobriu-se que ele é pai de um estudante do Cefet, aluno do professor em questão.