Kaio Vieira da Silva e Vinicius Laurindo Pereira vão à júri popular, a partir das 9h desta sexta-feira (17), na 2.ª Vara Privativa do Tribunal do Júri de Curitiba. Eles são acusados de matar Diego César Cunha, com um golpe de skate na nuca da vítima, em 2005.

De acordo com os defensores de Kaio, os advogados Maurício Zampieri de Freitas e Jean Carlo da Silva, na noite do dia 10 de março daquele ano, dois grupos de jovens se encontraram em frente ao supermercado Super Mufatto do Capão Raso e começaram a brigar. Até hoje, não se sabe o motivo do desentendimento. Na confusão, dizem os advogados, Vinícius tomou o skate de Diego e bateu na nuca da vítima com o objeto. Inicialmente, como o skate sumiu, o Ministério Público denunciou Kaio e Vinicius por latrocínio (roubo com morte). No entanto, no decorrer do processo criminal, verificou-se que tratava-se de um homicídio qualificado e que o skate apenas foi levado por um dos autores do crime para ajudar na fuga.

Segundo os dois advogados, além de Vinícius ter sido reconhecido como autor do golpe de skate, ele teria confessado o crime em juízo. Kaio estava no meio do grupo de brigões, porém não teria sido reconhecido pelas testemunhas como autor da agressão. Kaio estava respondendo o processo em liberdade. Vinicius, dizem Maurício e Jean, está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), por ter sido condenado há 10 anos de reclusão por outro crime. Neste júri, ele terá um defensor dativo (advogado) nomeado pelo Estado.

O homicídio de Diego ainda teve um có-reu, Marcos Aurélio Catarina, mas que teve seu processo desmembrado e será julgado à parte.