O comerciante Amauri Mendes, 38 anos, proprietário de um supermercado, foi assassinado a tiros, logo após fechar seu comércio na noite de domingo, na Rua Marco Campos, Vila Verde, Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Ele foi a décima nona pessoa assassinada no fim de semana que passou, considerado um dos mais violentos do ano em Curitiba e Região Metropolitana. Crivado de balas, ele foi encontrado agonizando na frente do mercado, ao lado de sua moto. Nada foi roubado, o que intrigou policiais da Delegacia de Homicídios, responsáveis pela investigação do caso.

Surpreendido

Amauri morava nos fundos do mercado. De acordo com a investigação da Delegacia de Homicídios, ele encerrou o expediente e ia guardar sua motocicleta Suzuki dentro do estabelecimento quando foi surpreendido pelos assassinos. Seriam quatro homens em duas outras motocicletas, que o cercaram e atiraram.

A mulher da vítima e um funcionário do estabelecimento, estavam nos fundos, ouviram vários tiros. Quando saíram do mercado encontraram Amauri agonizando ao lado da motocicleta, ferido com cinco tiros na cabeça, no peito, nas costas e em uma das pernas.

Os marginais fugiram sem levar nada, causando estranheza à polícia e aos parentes do comerciante. Segundo conhecidos da vítima, Amauri era proprietário do mercado havia oito anos e não tinha inimigos.

Ele era evangélico, não tinha vícios e tocava no conjunto musical da igreja, o que afasta suposições de morte por acerto de contas ou uso de drogas. É aventada a possibilidade de que os criminosos pretendiam roubar a moto, mas não o fizeram por motivo desconhecido. Os familiares de Amauri deverão ser ouvidos na delegacia, nos próximos dias, para auxiliar nas investigações.