Divulgação
Assis Gurgacz: busca e apreensão.

A Polícia Federal de Cascavel apreendeu milhares de dólares e reais em dinheiro, além de documentos fiscais, na residência do empresário Assis Gurgacz, proprietário da Empresa União Cascavel de Transportes e Turismo Ltda., a Eucatur. O empresário, que mora na cidade, foi indiciado por suspeita de fraude em financiamentos obtidos junto ao Banco da Amazônia (Basa), por meio da Operação Articulado, deflagrada pela Polícia Federal do Amazonas.

Da casa do empresário, os policiais levaram US$ 13 mil e R$ 11 mil, além de documentos fiscais. A operação incluiu ainda apreensões em Ji-Paraná (RO), onde fica a filial da empresa, e em Manaus, onde sete ônibus da Eucatur que operam o transporte coletivo na cidade foram apreendidos. Daí o nome da operação, em referência aos ônibus.

De acordo com a polícia de Manaus, foram detectadas diversas irregularidades em financiamentos obtidos pela empresa junto ao banco, como a compra de insumos não autorizados pela cédula do crédito. Além disso, a Eucatur teria apresentado ao Basa os sete ônibus articulados apreendidos, fabricados em 1993, com documentos ideologicamente falsos, constando que esses veículos teriam sido fabricados em 2004.

O valor do empréstimo concedido à empresa é de mais de R$ 19 milhões, sendo que a polícia já teria detectado irregularidades no repasse de mais de R$ 3 milhões. O restante do dinheiro ainda será apurado. De acordo com a PF, os sócios da empresa, inclusive Assis Gurgacz, foram indiciados por crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro. A PF promete apurar, agora, se houve funcionários do banco envolvidos.

De acordo com a PF de Cascavel, o empresário defendeu-se dizendo que o dinheiro que guardava em casa era para uma viagem em família aos Estados Unidos. Ele atesta possuir as notas que comprovariam a legalidade dos financiamentos. Gurgacz prometeu apresentá-las à polícia em trinta dias. A reportagem procurou a Eucatur para comentar o caso, mas não houve resposta.