Dois policiais militares foram mortos durante uma tentativa de abordagem na noite desta segunda-feira (04) na Avenida Brasília, no centro de Medianeira, na região Oeste do Paraná. De acordo com informações da PM, os soldados Diego Gurgel Araújo, 29 anos, e Jorge Luiz Fonseca, 28, tentaram abordar um adolescente de 17 anos que estava em atitude suspeita na rua e o rapaz reagiu. Os tiros acertaram a cabeça dos policiais.

Segundo o tenente Mendes, do 14º Batalhão, depois de atirar contra os policiais, o adolescente correu e roubou um Honda Cit preto nas proximidades. Ele fugiu até uma estrada rural, que liga Medianeira a Missal, abandonou o veiculo e fugiu para dentro de um matagal.

“Como estava escuro, reunimos várias equipes policiais para fechar o cerco na região e na manhã desta terça-feira começamos a procurar pelo rapaz”, disse o tenente. Até o momento, nenhum suspeito foi localizado.

Suspeitas

Segundo o tenente Mendes, algumas pessoas presenciaram toda a ação, mas as testemunhas não conseguiram precisar se o adolescente estava sozinho. “Há informações de que ele estava sozinho quando foi abordado, mas também ouvimos testemunhas que disseram que ele estava com mais um rapaz. Por isso estamos tomando ainda mais cuidado nas buscas”, explicou.

Policiais de toda região estão mobilizados em busca pelos suspeitos. A suspeita da PM é de que o adolescente suspeito seria um rapaz que foi apreendido nos últimos dias. “Esse rapaz teria fugido da delegacia da cidade, foi visto na rua e foi aí que tudo começou. Ele é um dos nossos principais suspeitos”. Segundo o policial, algumas fotos foram apresentadas a quem presenciou toda a ação e algumas testemunhas afirmam ser o rapaz e outras dizem que não se parece.

Para o tenente, é impossível afirmar se houve alguma falha por parte dos policiais. “O que sabemos é que eles não tiveram nem chance de reagir. Pelo que vemos, foi tudo muito rápido, mas um parecer sobre o caso será analisado mesmo pelo inquérito da Polícia Civil, até porque ainda não sabemos ao certo se quem matou estava sozinho ou acompanhado, por exemplo”, explicou Mendes.

A ação em si não foi flagrada por câmeras de segurança. “Mas algumas câmeras filmam chegadas e saídas, a movimentação em geral que aconteceu próximo ao local do crime. Essas imagens podem apontar alguns suspeitos e até identificar o autor”. As imagens foram solicitadas e serão analisadas.

A partir de agora, duas investigações foram iniciadas. A Polícia Civil segue com o procedimento comum aos casos de homicídio e também será aberto um inquérito policial militar.

Segundo o tenente, os dois soldados eram excelentes policiais. “Faziam um ótimo trabalho na região, com diversas apreensões, cumprimentos de mandados de prisão e desenvolviam o papel com bastante competência”, disse. O soldado Diego tinha dois anos de serviço e o soldado Jorge trabalhava há seis anos na corporação.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook