Lavínia Rabech da Rosa, 9 anos, assassinada a três semanas, em Curitiba, foi vítima de abuso sexual do andarilho Mariano Torres Ramos Martins, 45 anos. A constatação é do perito criminal Hemerson Bertassoni Alves, do Instituto de Criminalística, que encontrou sêmen de Mariano na calcinha da menina.

Ainda não se sabe se ele chegou a consumar o estupro. O laudo do exame de conjunção carnal deve ficar pronto em até 20 dias e será emitido pelo Instituto Médico-Legal.

A comprovação do abuso foi feito através de exame de DNA. O andarilho confessou o assassinato, contando que estrangulou a criança com um cadarço de sapato e abusou dela, enquanto a mãe, Maura Bela Rosa, saiu para comprar crack. Maura e Mariano fumavam crack na noite do crime, dentro da casa da família, enquanto Lavínia e a irmã menor dormiam no quarto ao lado.