A morte de André atraiu a
atenção de muitos curiosos.

Uma amizade de muitos anos foi encerrada com um disparo de arma de fogo às 20h45 de terça-feira, em Fazenda Rio Grande, Região Metropolitana de Curitiba. André Gomes, 20 anos, foi morto com um tiro na cabeça em frente a casa de seu amigo, um adolescente de 16 anos. O que motivou o disparo ainda é um mistério, pois familiares da vítima e do autor apresentam versões diferentes para o assassinato.

De acordo com Fábio, irmão de André, eles dois chegaram para conversar com o menor em frente a casa dele, na esquina das ruas Rio Jaú e Rio Juruá, bairro Iguaçu I. Enquanto conversavam, embaixo do poste de iluminação, André teria indagado porque a jovem conhecida por “Mascote” estava falando mal dele e de sua namorada. “Mascote” também se encontrava no local, mas na porta da casa. Por motivo ignorado, após ouvir a pergunta, o menor sacou da arma que carregava e, sem falar nada, efetuou um único disparo contra André. O tiro acertou a cabeça do rapaz, que teve morte instantânea. “Tava todo mundo conversando, até que o garoto se “queimou” com a pergunta do meu irmão. Deu loucura e ele atirou”, explicou Fábio, lamentando a morte e dizendo que eles eram amigos há anos.

Versão

O irmão do homicida, J.O.P.O., sustenta outra história para o crime. A família estava na casa, quando André apareceu no local e chamou o menor, que saiu para atendê-lo. Após uma breve conversa, teve início uma troca de insultos e palavrões entre os dois. Em seguida foi ouvido o disparo. “Não tenho idéia do que aconteceu aqui. Ouvi os xingamentos e o disparo. Não acredito em envolvimento de nenhuma menina como motivo do tiro”, disse J.O.P.O. Segundo ele, o irmão não tem antecedentes criminais e trabalha como soldador. Sobre a arma que ele carregava nada foi explicado.

Após desferir o tiro fatal, o autor saiu correndo e não foi mais visto. Policiais militares da Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone) da Companhia de Choque, realizaram patrulhamento pela área e foram os primeiros a dar atendimento ao homicídio. Foram feitas buscas na região mas o autor do crime não foi localizado. De acordo com policiais da região – 17.º Batalhão -, a vítima já esteve detida pela prática de arrombamentos. A elucidação do crime cabe à delegacia de Fazenda Rio Grande.