O gerente de um conhecido provedor de internet foi preso pela polícia catarinense em Curitiba, acusado de abusar sexualmente de garotos, com idade entre 11 e 13 anos, no Balneário Camboriú. Celso Roberto Berri, 38 anos, conhecido por “Beto” foi detido na sexta-feira, enquanto trabalhava no escritório, localizado no bairro Batel e levado para Santa Catarina, onde está preso no presídio do balneário.

De acordo com o delegado Jorge Giraldi, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), a polícia catarinense vinha investigando casos de pedofilia no litoral do daquele Estado, quando descobriu a participação de Celso. Após o depoimento de dois garotos, o delegado, munido de um mandado de busca e apreensão e prisão preventiva, veio a Curitiba, onde deteve o acusado.

Os policiais foram até apartamento onde Celso mora, no Batel, e levaram um computador para ser periciado. As buscas também foram feitas no apartamento de familiares dele na praia de Armação, em Santa Catarina. “Nós não encontramos nenhum material pornográfico evidente. Vamos esperar agora o que será achado pela polícia científica, nos dois computadores apreendidos. Entretanto, Celso já está preso porque foi reconhecido pelas vítimas, que forneceram todas as informações para chegarmos até ele, inclusive a placa da caminhonete usada para levar os garotos”, explicou o delegado.

Sexo

De acordo com o relato dos meninos, eles eram abordados pelo homem na Avenida Atlântica do Balneário Camboriú. Depois de oferecer presentes ao garotos, Celso os levava para o apartamento em Armação, onde os obrigava a manter relações sexuais. “Em um dos casos ele levou um dos meninos até o parque do Beto Carreiro, presenteou a vítima e depois a obrigou a manter relação sexual anal e a dormir com ele”, contou o delegado.

Celso, que é bacharel em Ciências da Computação, irá responder por atentado violento ao pudor e, se for condenado, poderá receber uma pena que varia de seis a dez anos de reclusão.