Horta da Nutrimental serviu
para “desova” de cadáver.

O tiro que os lavradores da localidade de Águas Claras, Piraquara, escutaram às 22h de domingo, matou um homem desconhecido. O corpo foi descoberto na manhã de ontem, no meio da horta de escarola da empresa alimentícia Nutrimental, perto da Rua Itaqui. A identidade da vítima, os motivos e os autores do assassinato permanecem misteriosos.

O lavrador Euclides dos Santos, que há 60 anos mora na região, foi o primeiro a encontrar o corpo, às 8h de ontem. Ele buscava leite quando viu um vulto estranho, e chamou um vizinho. “Sou do tempo em que aqui era uma tranqüilidade só. Agora, tiro é normal”, disse, saudoso.

Algumas características do cadáver, como a rigidez, confirmam que o horário da morte provavelmente foi o mesmo do disparo ouvido no noite de domingo, segundo o perito José Silvestre, da Polícia Científica. A vítima foi assassinada com um tiro de espingarda na cabeça e depois levada para a horta. “Vimos uma marca de pneu de carro na entrada da fazenda e não havia muito sangue no local”, comentou o investigador Jemerson, da Delegacia de Piraquara, o que leva a supor que o crime ocorreu em outro lugar e o corpo foi “desovado” na horta.

Outros detalhes chamaram a atenção da polícia: um par de chinelos de dedo pretos, jogados ao lado do cadáver, e a blusa da vítima vestida ao avesso. “Parece que arrancaram ele de casa apressadamente”, falou o investigador.

Nenhum morador da região identificou a vítima, que tinha aproximadamente 25 anos, cabelos encaracolados e vestia blusa de lã e tênis pretos e calça de brim azul.