Um Escort apreendido por estar estacionado de forma irregular levava consigo 30 quilos de maconha e ninguém sabia. A droga foi descoberta na noite desta sexta-feira (24), depois de uma denúncia anônima. Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar foram ao local com um cão farejador, que encontrou a maconha escondida dentro do tanque de combustível.

O carro foi levado ao pátio da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) no dia 21 de abril. De acordo com a PM, o Escort, com placas de São Paulo, estava estacionado de forma irregular em frente ao shopping Palladium, no Portão.

Desde o feriado, dia em que o veículo foi removido pela Setran, ninguém tinha aparecido para retirar o carro do pátio, no Uberaba, o que chamou atenção dos funcionários, mas sem levantar nenhuma desconfiança do que poderia estar por trás. Na tarde desta sexta-feira, uma ligação anônima foi feita para o fone 190 da PM e dizia que dentro do tanque de combustível havia grande quantidade de drogas.

Droga estava bem embalada e escondida dentro do tanque de combustível. Foto: Átila Alberti.

Quando chegaram, sem precisar de muito tempo, o cachorro apontou que em determinada parte do carro estaria a droga. Ao abrir o compartimento do tanque encontraram a maconha, bem embalada para não molhar com a gasolina. A carga está avaliada de R$ 10 mil a R$ 15 mil. 

O veículo, que segundo informou a polícia não tinha nenhum alerta de furto ou roubo, foi apreendido e encaminhado, junto com a droga, ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac) Sul, no Portão. Como o proprietário do Escort não foi encontrado cabe agora a Polícia Civil dar sequência nas investigações e tentar chegar ao dono da maconha.

Faro certeiro

A “Akira”, que encontrou a maconha no Escort, é um cão da raça pastor belga malinois. De acordo com a PM, por ter como qualidades a excelência na guarda e a inteligência, são utilizados por equipes policiais de vários países.

No Guiness Book, livro dos recordes, os cães dessa raça estão presentes como os maiores farejadores de drogas já registrados. Justamente por essa característica, que são atualmente os cães preferidos para o uso policial.

“Hoje, felizmente, tivemos um trabalho muito bem desenvolvido graças ao faro dela, que sem pestanejar encontrou a droga. Sem ela seria mais difícil encontrarmos”, disse o capitão Oliveira, do Bope. De acordo com o capitão, cães farejadores são usados em diversas operações policiais em todo o Paraá, inclusive com apoio a força pública fora do Estado.

Akira encontrou a droga dentro do veículo. Foto: Lucas Sarzi.