Policiais civis do núcleo Pato Branco da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) desencadearam, entre os dias 15 e 18 de novembro, uma operação de repressão ao tráfico de drogas no sudoeste do Estado, que resultou na prisão de seis pessoas. Elas foram autuadas pelos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e corrupção de menores.

Na última sexta-feira (15) foram presas três pessoas, dentre elas o homem considerado como líder da quadrilha, Gilmar Friderich, 36 anos, na cidade de Cruzeiro do Iguaçu, sudoeste do Estado. Na ocasião também foram presas a enteada de Friderich, Fernanda Demétrio, 18 anos, e a esposa dele, Roseli Demétrio. Os três foram presos por tráfico de drogas e associação ao tráfico.

Já no sábado (16) foi preso Elias Tartari, 18 anos, na cidade de Dois Vizinhos, e em Francisco Beltrão, nesta segunda-feira (18), foram presos Luciano Duarte Cidade, 29 anos, suspeitos de tráfico de drogas e associação ao tráfico, e Ailson Duarte, 29 anos, suspeito dos mesmos crimes que os outros presos, além de corrupção de menores. De acordo com a polícia, ele ordenava que crianças vendessem drogas.

Friderich e Roseli comandavam um esquema de tráfico de drogas na região de Francisco Beltrão, com uma média de dez quilos de crack e cocaína por mês, segundo apontou a investigação.

Um dos carregamentos de Friderich foi interceptado pela Denarc Pato Branco no dia 16 de outubro, na cidade de Salto do Lontra, quando o casal José Ricardo Macedo Lima, 32, e Jéssica Biachi Rosa, 18, foram presos transportando aproximadamente 8,5 quilos de crack e um quilo de cocaína escondidos no interior das caixas de som de um veículo. A droga seria fracionada e repassada aos membros da quadrilha para revenda.

Segundo o delegado titular da Denarc Pato Branco, Leonardo Guimarães, responsável pelas investigações, a aquisição de carros de luxo, barco a motor, jet ski, motocicletas e terrenos em Francisco Beltrão e Dois Vizinhos foram descobertos durante as diligências.

Com isso, foram produzidas provas suficientes para obter parecer favorável ao pedido de sequestro de bens de Friderich feito pela Denarc, deferido pelo Poder Judiciário. Dinheiro, cheques, extratos de contas bancárias e documentos também foram apreendidos como prova das atividades criminosas.

Agora, segundo o delegado, o inquérito policial será remetido ao Ministério Público e ao Judiciário de Francisco Beltrão para instauração da ação penal.