O chefe da Subdivisão de Transporte e Manutenção da Polícia Civil, delegado Adriano Admir da Cruz Ribeiro, explicou que o uso das viaturas é fiscalizado pelos delegados das unidades. Ele disse estar surpreso com o uso pessoal das viaturas e garantiu que nunca havia recebido denúncias a esse respeito. “Se houver o mau uso ou não houver justificativa plausível, existe a responsabilidade administrativa e talvez até responsabilidade penal”.

A Gazeta do Povo tentou contato, por telefone, com os servidores mencionados na reportagem, mas as ligações não foram atendidas ou eles não estavam nas repartições em que estão lotados. O governo do estado emitiu nota dizendo que, conforme o decreto 4.453/12, “serão tomadas todas as providências tendentes a corrigir eventuais desvios”.

O comunicado acrescenta que o policial deve utilizar a viatura “de forma contínua para o desenvolvimento de sua atividade”, mas que a norma (resolução 222/11) prevê o uso dos veículos oficiais somente no horário de expediente, “salvo para desempenho de encargos inerentes ao serviço público”.