A juíza federal Silvia Brollo, da 1.ª Vara Federal e Juizado Especial Federal Criminal de Ponta Grossa, decretou na audiência realizada na manhã de ontem a prisão preventiva dos réus Airton José Dias Coradassi, Bento de Oliveira Bueno e Elilton Dias Coradassi. Durante a audiência, em que a magistrada realizava a oitiva de sete testemunhas arroladas pelo Ministério Público Federal, uma das testemunhas afirmou que o escritório de Edson Stadler, advogado de defesa daqueles réus, procurou-a antes de vir testemunhar, caracterizando uma tentativa de influência. A juíza federal entendeu que se configurou uma das hipóteses da prisão preventiva, prevista no Código de Processo Penal e por isso decretou a prisão dos réus. A Ordem dos Advogados do Brasil também foi oficiada para apurar a transgressão disciplinar do advogado.

Acusação

Segundo o Ministério Público Federal em Ponta Grossa, o presidente da Federação Paranense de Futebol (FPF), Onaireves Moura (preso na capital), além de Airton José Dias Coradassi, Bento de Oliveira Bueno, Elilton Dias Coradassi, Marcos Antonio da Silva, Renato Assis Rolim de Moura e Jair Leite estão envolvidos com duas empresas que exploravam bingo e cometeram crimes, como sonegação de tributos federais.