Emília Francisca Soares de Abreu, 19 anos, encontrada morta no último dia 19 de abril, no bairro Butiatuvinha, foi assassinada porque carregava R$ 12 mil dentro da vagina. A informação é do superintendente Neimir Cristovão, da Delegacia de Homicídios. “O dinheiro era referente ao tráfico de drogas”.

O policial ouviu uma testemunha que contou detalhes do crime. Os autores do brutal assassinato, de acordo com a polícia, são os indivíduos conhecidos como “Laranja” e “David”. “Já temos a qualificação. Nossos policiais estão nas ruas tentando localizar os dois”, disse Neimir. Ele informou que por enquanto os nomes serão mantidos em sigilo, para não atrapalhar os trabalhos.

Encontro

A jovem foi degolada e na seqüência os marginais fizeram uma incisão em forma de cruz na sua barriga, para retirar o dinheiro. Como ela estava grávida de cinco meses, a polícia chegou a suspeitar que o corte na barriga havia sido feito para a retirada do feto, que desapareceu. “O corpo ficou exposto no matagal durante oito dias, já que a jovem foi assassinada no dia 11 e o encontro do cadáver só ocorreu no dia 19. Neste período, como o feto ficou exposto, pode ter sido devorado por animais”, ressaltou o superintendente.