Foto: Alberto Melnechuky

Casa da vítima foi totalmente revirada pelos ladrões.

?Presunto fresco. É nóis na fita.? O recado estava escrito na parede da sala de estar do técnico em eletrônica Rogério Gaspar, 54 anos, cujo corpo, amarrado com fios pelo pescoço, mãos e pés, estava no chão.

Nos demais cômodos da residência, o rastro da selvageria dos ladrões era mostrado pelas roupas e objetos espalhados pelo chão.

O latrocínio (roubo com morte) ocorreu há cerca de dez dias, na Rua Francisco Nadolny, Campina do Siqueira, mas apenas no final da tarde de sábado é que o crime foi descoberto.

Foto: Alberto Melnechuky

Bandidos deixam recado, afrontando a polícia.

A vítima morava sozinha. Os vizinhos já tinham percebido sua ausência, mas como Rogério costumava ir com freqüência para o litoral, onde tinha casas alugadas, acreditaram que ele estava viajando.

Porém, na tarde de sábado um cheiro forte vindo da residência dele chamou a atenção da vizinhança, que resolveu entrar.

Eles encontraram Rogério morto. O corpo estava em avançado estado de decomposição. Ele foi enforcado com um fio. Teve as mãos e pés amarrados e havia um pano em sua boca.

Foto: Alberto Melnechuky

Corpo, em urna lacrada, foi levado para o IML.

Bandidagem

A casa estava toda revirada e o cofre arrombado. Os assassinos abriram gavetas e portas dos armários e colocaram tudo que havia dentro deles no chão.

A audácia chegou ao ápice quando os bandidos deixaram recados pelas paredes, escritos a caneta, afrontando a todos, com palavras de baixo calão.

Vários eletroeletrônicos, assim como o carro dele, um Honda Civic, foram roubados. Segundo vizinhos, há pelo menos dez dias Rogério não era visto no bairro, o que indica a provável data do crime.

Por ter sido roubado um carro, o boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), porém já foi passado à Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), que ficará responsável pelas investigações.