O tráfico e o consumo de entorpecentes em frente a residências e edifícios têm incomodado muita gente. Acuados, moradores de áreas nobres, em contato com o Paraná Online, revelam que sentem medo de sair à noite e nos fins de semana, e são obrigados a conviver com indivíduos permanentemente drogados, que ocupam calçadas, marquises e muros.

Chegaram ao Paraná Online, ontem, fotos e filmagens de usuários e traficantes que costumam ficar na esquina das ruas Ângelo Sampaio e Júlia da Costa. No local, frequentadores de um posto de combustível, de acordo com uma das denúncias, passam a noite bebendo e fazendo arruaças. No último fim de semana, cinco indivíduos bêbados e drogados permaneceram no local até as 10h30 de domingo.

Imagens

As imagens feitas durante o dia mostram garotas e rapazes em carros de luxo, conversando com dois indivíduos, provavelmente traficantes. Uma jovem simula ser namorada do fornecedor, que enrola um baseado (cigarro de maconha), oferece para ela e lhe entrega um pacote tirado de dentro da calça.

Também casais consumindo maconha dentro de veículos estacionados foram filmados, bem como rapazes encostados em um muro, onde enrolam os cigarros de maconha e os consomem. Há informações que, à noite, a reunião é de usuários e fornecedores de crack.

Sigilo

Todas as denúncias ao Paraná Online serão encaminhadas ao Comando do Policiamento da Capital (CPC) da Polícia Militar, conforme foi sugerido pelo coronel Jorge Costa Filho, comandante da unidade, que propôs parceria entre a comunidade, a imprensa e a PM, para que os cidadãos possam frequentar ruas e praças, hoje tomadas por usuários de drogas. Os denunciantes serão mantidos em sigilo.