Fotos: Reprodução
Câmeras de condomínio flagram casal de ladrões.

A polícia tenta descobrir a identidade de um casal de ?mioleiros?, filmado por câmeras de segurança durante uma de suas ações, em Curitiba. ?Mioleiros?, explica o delegado Rubens Recalcatti, da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), são ladrões com habilidades em abrir miolos de fechaduras, sem utilizar a chave original. Apesar de conseguir boas imagens do casal, a polícia ainda não sabe a identidade dele.

Recalcatti disse que o homem e a mulher fazem parte de uma quadrilha que age em diversos estados brasileiros, e tem boa parte de seus membros no Piauí.

O bando reúne pessoas com idades de 25 a 60 anos. Ele teria sido responsável por um roubo, ocorrido no final do ano passado, em Curitiba, quando os ladrões levaram cerca de R$ 500 mil em jóias de um apartamento de luxo.

O delegado explica que a quadrilha passa um tempo fazendo levantamento de imóveis de alto padrão na cidade, escolhendo sempre locais onde há algum imóvel para alugar ou vender. Em contato com a imobiliária, os ?mioleiros? mostram-se interessados em ver o imóvel, e conseguem as chaves para visitação. Na imobiliária, eles deixam uma carteira de identidade falsa, para que, se alguém desconfiar, não os identifique.

Na visita ao imóvel, em geral prédios, os bandidos realizam levantamentos de outros apartamentos, puxam conversa com funcionários do condomínio e acabam descobrindo hábitos e movimentação de moradores. Depois, utilizando ferramentas especiais, abrem os apartamentos pré-escolhidos e levam tudo o que encontram de valor.

Quadrilha

No ano passado, membros da Polícia Civil do Piauí estiveram em Curitiba, atrás dos ?mioleiros?, mas não conseguiram pegá-los. Em seguida, os policiais piauienses foram a São Paulo, e lá conseguiram deter algumas pessoas. No retorno ao Piauí, prenderam mais uma parte do bando, porém há ainda integrantes soltos, realizando os furtos, como o casal filmado pelas câmeras de segurança, em Curitiba. A polícia prendeu, em Londrina, Rui Clementino da Silva Filho, suspeito de participar do grupo.

Quem souber quem é o casal mostrado nas imagens pode informar a DFR pelo telefone (41) 3262-2800.