A tentativa de assalto a uma distribuidora de gás e água do Boqueirão, às 16h40 de ontem, resultou na morte do proprietário Flávio Eduardo Fernandes, 47 anos. Segundo o funcionário dele, Emerson da Rocha, 35, o homem reagiu ao assalto. Ele foi baleado duas vezes na cabeça e morreu na porta do estabelecimento, na Rua Henrique Martins Torres.

Três bandidos chegaram em um Pólo preto, roubado uma hora antes no Xaxim. Enquanto um permaneceu ao volante, outros dois entraram na distribuidora para roubar. “Um ficou com Flávio na porta e o segundo foi ao caixa. Flávio tentou pegar a arma do assaltante, que avisou o comparsa. O bandido que ia pegar o dinheiro voltou e atirou”, descreveu Emerson, principal testemunha do homicídio. Ainda segundo ele, um dos assaltantes portava um revólver e o outro uma pistola.

Fuga

Sem levar nada, o trio fugiu e a polícia não conseguiu localizá-los. A tenente Bárbara, do 20.º Batalhão da Polícia Militar, disse que ele foi baleado porque representou risco para os marginais. “Já estávamos atrás destes bandidos desde o roubo do carro, mas não conseguimos prendê-los a tempo de impedir essa morte. Isso nos deixou muito tristes”, desabafou a policial.

Flávio foi morto poucos dias antes de deixar o negócio. Uma hora antes de ser assassinado, ele negociava a venda do ponto para outro distribuidor. “Falei com ele por telefone poucos minutos antes. Vim conversar pessoalmente, porque a ligação caiu”, disse o comerciante, que preferiu não ter o nome divulgado. A Delegacia de Homicídios enviou agentes para dar inicio as investigações.