Cinco presos que participaram da rebelião na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), no dia 29 de novembro, já estão em presídios do Mato Grosso do Sul. Fábio de Carlos Martins, o “Meia-noite”; Robson Nadal, o “Faustão”, e Anacleto Roberto foram encaminhados ao presídio de Campo Grande, enquanto Agnaldo João Schnemberg e Fábio Arce de Moura para a penitenciária de Dourados. Para hoje é aguardada a chegada no Paraná de detentos vindos do Mato Grosso do Sul, conforme o sistema de permuta combinado entre as secretarias de Segurança Pública dos dois estados.

Os mais cotados para desembarcar em solo paranaense são cinco traficantes, entretanto apenas quatro deles tiveram os nomes levantados extra-oficialmente: Sebastião Nunes Siqueira, Geraldo Nei Braga, José Severino da Silva e Odair Moreira, o “Marreta”.

Segundo informações da imprensa do Mato Grosso do Sul, Sebastião foi preso em 1995, naquele estado, quando tentava transportar mais de 600 quilos de cocaína para a cidade de Istambul (Turquia). Fugiu do presídio de Campo Grande por duas vezes e permaneceu foragido por três anos. Foi recapturado em novembro deste ano pela Polícia Federal, em Londrina. Especulava-se que pretendia fugir novamente nos próximos dias e por isso foi realizada a transferência. “Marreta” é conhecido devido a sua ligação com o megatraficante carioca “Fernandinho Beira-Mar”. Até ontem, ele permanecia recolhido no presídio de segurança máxima de Corumbá e sua transferência ainda não havia sido acertada definitivamente. José Severino, que teria ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC) – facção criminosa paulista – esteve envolvido numa greve de fome e princípio de rebelião no presídio de Campo Grande.