Viaturas da Polícia Civil que deveriam ser usadas em investigações servem para delegados, escrivães e investigadores viajarem em férias, levarem os filhos à escola, irem às compras, transportarem comida para cachorros e até irem a prostíbulos. Durante cinco meses, uma equipe da Gazeta do Povo analisou documentos secretos, conferiu gastos, fez investigações de campo e concluiu que grande parte dos 2.197 carros oficiais da corporação foram desviados para atender a interesses pessoais. Enquanto isso, a polícia consumiu R$ 41,5 milhões com aluguel de veículos nos últimos oito anos, média anual de R$ 5 milhões.

O chefe da Corregedoria da Polícia Civil, delegado Paulo Ernesto Araújo Cunha, dispõe em tempo integral de um Renault Fluence, com o qual sai a passeio e vai às compras. A secretária executiva da corporação, delegada Leonídia Hecke, leva criança à escola numa Ecosport. O chefe da Divisão de Infraestrutura, delegado Benedito Gonçalves Neto, usa um Renault Logan para ir ao mercado. O chefe da Divisão de Investigações Criminais, delegado Hitiro Hashitani, faz pior. Dispõe de um Logan para assuntos particulares e ainda usa o investigador Carlos Roberto Faria como motorista para levar criança à escola numa Ecosport.

Bordel

O flagrante mais grave envolve o chefe da Divisão de Crimes contra o Patrimônio, o delegado Luiz Carlos de Oliveira. No dia 8, ele saiu de casa às 17h40 no Logan AYB-9611 e foi para um prostíbulo na Avenida Visconde de Guarapuava, no Centro. Chegou às 17h55 e saiu às 20h50. O carro permaneceu estacionado nos fundos do bordel. Dias depois, a reportagem flagrou outras duas viaturas descaracterizadas entrando no lugar.

Outro flagrante envolve a escrivã Marlene Heckert, lotada no Instituto de Identificação do Paraná. Todos as tardes, ela recolhe sobras de comida num restaurante da Rua José Loureiro e no refeitório da Polícia Civil, para levar a uma instituição que cuida de cachorros no Uberaba, a 8 quilômetros. Após queixas internas no Instituto de Identificação, Marlene trocou o Renault Clio por um Gol ano 2010, com a placa reservada AVC-8814. Esse veículo, alugado pela Polícia Civil para servir de viatura, também é usado pela escrivã para fazer entrega de rações e casinhas de cachorro aos clientes de um pet shop na Avenida Salgado Filho, também no Uberaba.

Reportagem: Mauri König, Diego Ribeiro, Felippe Aníbal e Albari Rosa