A Polícia Federal, em ação integrada com o Ibama, prendeu ontem um casal, suspeito de comandar uma quadrilha que vendia animais silvestres pela internet. Batizada de Operação Arapongas, a ação cumpriu seis mandados de prisão e 24 de busca e apreensão no Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Ceará e Paraíba.

O casal foi preso em Arapongas, no norte do estado. As investigações apontam que a quadrilha comercializava animais no Brasil e no exterior. A venda não possuía autorização do Ibama. As encomendas eram de qualquer tipo de animais, como répteis, anfíbios, mamíferos e pássaros, vindos de criadouros irregulares ou capturados na natureza.

Preços

Segundo a investigação, o site oferecia arara-azul a R$ 55 mil, jaguatiricas a R$ 13 mil e águias chilenas a R$ 9,5 mil. Todas as compras podiam ser parceladas em até 18 vezes.

Os presos vão responder por falsidade ideológica, formação de quadrilha, crime contra a fauna, estelionato e sonegação de impostos. A investigação durou um ano, segundo a Polícia Federal.