Desaparecidos desde quarta-feira, o aposentado João Maria Taborda, 60 anos, e a diarista Eva Stabach, 49, foram encontrados mortos na manhã de ontem, em um terreno afastado, na localidade conhecida como fundos do campo Martins, na zona rural de Araucária. O casal de namorados foi vítima de um bárbaro crime.

Após serem executados a tiros, tiveram seus corpos carbonizados, juntamente com o veículo onde estavam, o Versailles placa AVI-2007. A polícia de Araucária já começou a investigar o duplo homicídio e ainda não descarta nenhuma hipótese com relação ao motivo.

De acordo com informações da delegacia local, João e Eva moraram juntos por um tempo e se separaram há cerca de três meses. Recentemente voltaram a namorar. Na tarde de anteontem, o casal teria saído da casa de João, no carro dele, por volta das 16h30.

“Saíram com uma garrafa d’água e uma cuia, provavelmente iriam tomar chimarrão”, disse o delegado Rubens Recalcatti. Como João mora próximo ao local do crime, a polícia acredita que eles tenham ido até o terreno por conta própria. “Eles estacionaram o carro regularmente. Devem ter sido abordados ali”, supôs o delegado.

Sumiço

A autoria do crime ainda é desconhecida, mas o certo é que os matadores balearam os namorados e atearam fogo no veículo e nos corpos, provavelmente para dificultar a identificação das vítimas.

A polícia chegou rápido aos nomes dos mortos porque já havia um boletim de ocorrência de desaparecimento registrado na quarta-feira, quando os filhos de Eva sentiram a falta dela. Quando os corpos foram encontrados, a família foi informada e reconheceu o casal.

Pela forma como aconteceu o duplo homicídio, foi levantada a hipótese de crime passional, porém Recalcatti não descartou outras possibilidades. Segundo o delegado, no tempo em que João e Eva estiveram separados, ele teria mantido um relacionamento com outra mulher. “Estamos engatinhando nas investigações”, concluiu.