Um homem e uma mulher foram presos com R$ 4.100,00 em notas falsas, na noite de terça-feira, em Campo Largo. Dinarte Portes, 57 anos, e a mulher dele Rosana Hostin Farias, 49, que moram em Curitiba, foram flagrados por policiais militares do 17.º Batalhão da Polícia Militar, antes de revender o dinheiro falso numa borracharia.

Segundo o sargento Santos, há cerca de três meses começaram a aparecer notas falsas no comércio de Campo Largo. Por meio de levantamento em conjunto com a Polícia Civil, a PM descobriu o carro usado pelos falsários para entregar as encomendas.

Por volta de 18h20, a polícia conseguiu abordar o Corsa placa ANE-5230, na Rua Belo Horizonte, Vila Glória. Os policiais encontraram 19 cédulas de R$ 100 na caixa de fusível, debaixo do volante. Mais 22 notas do mesmo valor estavam escondidas num armário na residência do casal, no Cajuru.

Ibama

Santos contou que, na casa, também foram apreendidos coletes e brasões do Ibama, comumente usados em fiscalizações. Dinarte contou aos policiais que prestava serviço terceirizado para o IAP (Instituto Ambiental do Paraná), mas não esclareceu o que fazia com o material do Ibama.

“Ele confessou que pegava as notas com um morador de Curitiba e revendia cada uma por R$ 30”, contou o sargento. A polícia descobriu ainda que ele se identificava como “Zé Roberto” ao compradores.

O casal, segundo o PM, também usava o dinheiro falso para comprar e revender motocicletas. Como o crime de falsificação de moeda (previsto no artigo 289 do Código Penal) é de competência da Polícia Federal, o casal foi encaminhado para a superintendência do órgão em Curitiba. A pena é de 3 a 12 anos de prisão.