Um provável acerto de contas por causa de um veículo roubado. Essa é a principal hipótese a ser investigada pela polícia de Campina Grande do Sul sobre a morte de Valmor Deodoro, 29 anos. Ele foi executado com tiros em frente a uma auto-elétrica na Rua Nilce Terezinha Zanetti, Jardim Paulista, por volta das 14h30 de ontem.

Poucas informações foram obtidas pelas polícias Civil e Militar, que compareceram ao local do crime. De acordo com o superintendente José Carlos, da delegacia de Campina Grande do Sul, a vítima chegou sozinha no estabelecimento, conduzindo o Palio placa MAK- 4806 (Blumenau-SC), para consertar. Minutos mais tarde, parou em frente ao local um casal em uma Parati, cor bordô. O motorista do carro desceu e foi em direção ao seu alvo. Sacou um revólver e efetuou disparos que resultaram na morte de Valmor. Na seqüência, o assassino retornou à Parati e empreendeu fuga. Inicialmente, não foram repassadas as características do matador, mas foi informado que ele estava acompanhado por uma mulher loira, que ficou dentro do carro durante a execução.

A polícia descobriu que o Palio levado até a auto-elétrica por Valmor era roubado e estava com a placa trocada. A placa original do veículo é AGL-7752 e foi roubado em Curitiba. A vítima não tem antecedente criminal e conforme familiares havia trocado o seu antigo Voyage pelo Palio, recentemente. Ao que tudo indica, a morte de Valmor deve ter sido motivada pelo envolvimento com o carro.