Átila Alberti
Cleber e Leonel, autores
de latrocínio.

Apontados como autores de um latrocínio (roubo com morte), Cleber Mello Alves da Silva, 22 anos, e Leonel Ricardo Bueno, 19, foram presos por policiais do 7.º Distrito (Vila Hauer). André Luiz Ventura, o "Andrezinho" – também acusado de participar do crime – está com prisão preventiva decretada. O delegado Eduardo Marcelo Castella, titular do distrito, informou que Cleber ainda foi reconhecido por uma adolescente, de 14 anos, como autor de estupro. Já Leonel é acusado de um homicídio.

Procurado por familiares de Miguel Vagner Iaszczak, 26 anos, assassinado por ladrões durante um assalto á Casa dos Queijos, na Rua Waldemar Kost, às 18h do dia 3 de dezembro do ano passado, o delegado deu início às investigações. "A Delegacia de Furtos e Roubos já tinha identificado os dois, mas como eles tinham diversos assaltos começamos a trabalhar para tirá-los de circulação", contou. Na noite de segunda-feira os investigadores prenderam Leonel e Cleber na Rua Padre Deon, na Vila Hauer. A dupla estava com a motocicleta placa AKX-5983.

O policial pediu às pessoas que souberem o paradeiro de André ou foram vítimas dos presos, para que entrem em contato com a delegacia através do telefone 3376-1055.

Latrocínio

No final da tarde daquele sábado, três homens invadiram a Casa dos Queijos, armados com revólveres. Após ameaças aos proprietários, os bandidos se apoderaram de uma pequena quantia em dinheiro e fugiram. Minutos depois, Miguel saiu para ver a direção em que os assaltantes fugiam, quando foi baleado no peito. O comerciante ainda foi socorrido e levado ao Hospital Cajuru, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o delegado, as investigações apontaram que Leonel assassinou Cláudio Marzo do Nascimento, conhecido como "Nego Mike". O crime aconteceu na noite de 29 de janeiro deste ano, na Praça da Colonização Menonita, no Boqueirão. Na ocasião, Cláudio estava reunido com amigos em uma roda de violão e levou dois tiros. O amigo dele, Silvio José da Silva, 30, foi baleado. A saraivada de balas não poupou nem Sebastião Amaro Júnior, 44, que no momento da confusão passeava pela praça e também foi ferido.