A combinação de direção e bebidas alcoólicas acabou mal. Às 16h30 de ontem, o Palio placa AMR-6880, dirigido por Leandro Alves Luiz Farias, 31 anos, acompanhado do irmão, Leonilson Farias Sutil, 26, capotou no quilômetro 114 da BR-476, Bairro Alto.

Os dois irmãos, que não usavam o cinto de segurança, foram jogados para fora do carro. Leonilson morreu na hora, e Leandro foi socorrido pelo Siate, mas não precisou ser encaminhado ao hospital. Ele foi submetido ao bafômetro, que apontou embriaguez.

Segundo testemunhas, os dois seguiam sentido Pinheirinho, quando Leandro foi para o acostamento e logo em seguida caiu na ribanceira. O carro capotou e parou encostado em uma cerca.

O cabo Zamboni, do Siate, disse que quando chegaram no local encontraram o rapaz já sem vida, e o outro, com sinais de embriaguez. “Ele foi atendido, mas como não tinha ferimentos, foi liberado sem a necessidade de ser conduzido ao hospital”, explicou.

Desespero

A mãe das vítimas chegou no local no momento que o corpo do filho era recolhido pelo Instituto Médico-Legal. Ela ficou desesperada e precisou ser amparada por outros familiares. Leandro, por várias vezes tentou correr para rodovia, como se fosse tentar se jogar na frente de um carro mas foi contido por amigos.

Em seguida, ele foi submetido ao teste do bafômetro pelos policiais rodoviários federais. Com dificuldades ele assoprou o equipamento que marcou 0,57, quase duas vezes mais do que o permitido.

“Não é permitido nada, mas para o condutor ser incriminado e conduzido para delegacia o nível de álcool no sangue tem que ser igual ou superior a 0,30”, explicou o policial. Leandro foi encaminhado a Delegacia de Delitos de Trânsito, mas assim que pagar a fiança, será liberado.