Foto: Alberto Melnechucky/Tribuna
O marginal José Carvalho
Luís tombou na sala.

A casa do capitão reformado da Polícia Militar e delegado aposentado Pedro Gentio Andreoli, 67 anos, virou "campo de batalha", às 19h45 de quinta-feira, na Vila Hauer. Pedro entrou em confronto com dois assaltantes armados de pistola que invadiram a residência. Um dos bandidos, identificado como José de Carvalho Luís, 36 anos, morreu na sala da casa. Seu comparsa foi ferido, mas conseguiu escapar. Pedro e seu filho Vinícius, 26, também foram baleados e levados ao Hospital Cajuru.

Anexo à casa do policial, na Rua Presidente Pádua Fleury, Hauer, funciona uma empresa de alimentos. Durante o descarregamento de mantimentos, por uma transportadora, os bandidos aproveitaram para entrar no terreno. Um deles chegou até a esposa do ex-policial pedindo para falar com "seu Pedro", que teria prometido um emprego. Como a família estava construindo e precisava de pedreiro, a mulher disse para o homem conversar com o filho dela. Como resposta, veio a voz de assalto.

O outro assaltante apareceu rendendo os dois funcionários da transportadora, que, junto com a mulher, foram contidos sob a mira de pistolas na cozinha da residência. Quando encontraram Pedro, que foi ver o que acontecia, os bandidos perguntaram pelo cofre. Apesar de o ex-policial negar possuir um, eles insistiram para que ele os levasse até o cofre.

Tiroteio

Em seguida, começou a confusão. De acordo com levantamento preliminar do perito Carlos Henrique, da Polícia Científica, foram encontrados cerca de 25 estojos de projéteis, calibre 380, nos dois quartos, na cozinha e na sala, e registradas as marcas de tiros nas paredes. José foi atingido na boca e duas vezes no peito e morreu segurando a pistola com numeração lixada. Pedro foi baleado no braço e no peito, e seu filho, nas costas.

O outro bandido conseguiu fugir, mas teria sido ferido. "As entradas de baleados nos hospitais estão sendo monitoradas, se ele der entrada em algum deles, nós o encontraremos", afirmou o tenente Emerson, do Regimento de Polícia Montada, RPMont, que atendeu a ocorrência junto com os soldados Dener e Luíza, do Projeto Povo Hauer.

Policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) estiveram no local fazendo os primeiros levantamentos. O delegado Rubens Recalcatti, titular da DFR, informou que está aguardando a identificação oficial do assaltante que morreu. "Vamos apurar se este rapaz tem antecedentes", salientou Recalcatti. Ele disse que também está trabalhando para identificar e prender o rapaz que fugiu.