Com o corpo submerso em uma valeta em frente a sua casa, número 241, da Rua das Rosas, Jardim Guarituba, em Piraquara, o lavador de carros Eflen Rudney dos Santos, 22 anos, foi encontrado morto às 7h de sábado. De acordo com o perito Carlos Henrique, da Polícia Científica, o jovem foi assassinado por afogamento, no início da madrugada.

Parentes de Eflen contaram que ele mudou-se para o Jardim Guarituba quatro dias antes de morrer. Ele morava na Vila Mariana e após separar-se da amásia, com quem tinha uma filha de 3 anos, resolveu comprar uma casa próxima à seus familiares. Na noite de sexta-feira ele estava bebendo cachaça com refrigerante junto com dois amigos, identificados como “Beto” e “Xerox”, em frente à casa de uma tia, a duas quadras da sua. Por volta da meia-noite os três resolveram terminar a bebedeira na casa de Eflen.

A polícia acredita que houve luta no local, já que a bicicleta da vítima e o par de chinelos estavam jogados em frente à moradia. Do outro lado da rua, vestindo apenas bermuda jeans e uma camiseta preta, o corpo de Eflen estava submerso. Sobre o pescoço estava uma corda elástica (usada por motoqueiros). Talvez os criminosos tenham tentado utilizar a corda para enforcar a vítima. O perito Carlos Henrique disse que os exames complementares vão constatar a causa da morte, mas ele suspeita que os criminosos afogaram a vítima na valeta.

O soldado Lauriano, que atendeu a ocorrência junto com seu colega Marques, disse que a Polícia Militar foi acionada por populares que não se identificaram. “Talvez os vizinhos viram ou ouviram a briga, mas aqui predomina a lei do silêncio e dificilmente alguém vai querer se expor”, relatou o policial. Ele acredita que o rapaz foi assassinado por seus próprios amigos. “Vamos repassar todas as informações para a Polícia Civil, que deverá investigar o caso”, salientou o policial.