Marcelo Lopes Ruberth, 31 anos, o “Marcelo Cachorrão”, foi preso na tarde de sexta-feira, em Almirante Tamandaré. Suspeito de um homicídio no Sítio Cercado, em 2011, ele tentou escapar dos policiais, escondendo-se numa loja de materiais de construção. Quebrou tudo lá dentro e ainda feriu um policial, que precisou levar pontos na perna e ficar afastado do trabalho por alguns dias.

O preso era investigado pela morte de Silvestre Duarte Camargo, 66 anos, dono do ferro velho Manivela. O crime ocorreu no dia 15 de novembro, quando cinco homens num Gol preto chegaram à residência da vítima e invadiram o local armados. A polícia acredita que os marginais estivessem procurando um dos filhos de Silvestre, que na época era suspeito de outro homicídio ocorrido no bairro. Mas como não encontraram quem queriam, atiraram em Silvestre e no restante da família. Outro filho dele, Sílvio Ribeiro Duarte Camargo, 25 anos, levou tiros de pistola mas sobreviveu. Recebeu alta do hospital três dias depois. Silvestre levou tiros calibre 12 no ombro e nas costas e morreu pouco tempo depois no hospital.

Acredita-se que Marcelo era um dos atiradores e por este crime tinha um mandado de prisão em aberto. Na tarde de sexta-feira, os soldados janderson e Marcovicz patrulhavam pelas ruas de Almirante Tamandaré, quando reconheceram o rosto do foragido. Na abordagem, o suspeito identificou-se com Arnaldo. Mas como os policiais já tinham informações que o ele estava pela região, contestaram a informação dada, o que fez Marcelo correr da viautra e tentar se esconder numa loja de materiais de construção. Tentando resistir à prisão, ele quebrou muitas coisas dentro da loja e machucou um dos policiais, que teve a perna cortada. Marcelo foi levado à delegacia de Almirante Tamandaré.