Cobre atrai bandidos.

O roubo de cabos telefônicos e fios elétricos está se tornando um problema comum em Curitiba e Região Metropolitana. Os ladrões roubam a fiação – deixando moradores sem luz e sem poder utilizar o telefone – para depois vender o cobre do qual ela é constituída.

No Bosque São Cristóvão, no bairro Santa Felicidade, onde é realizada a tradicional festa da uva de Curitiba, os fios elétricos já foram roubados três vezes nos últimos seis meses, o que gerou um prejuízo de R$ 2 mil à Paróquia São José de Santa Felicidade, responsável pelo local. “Os ladrões geralmente agem à noite e durante os finais de semana”, conta o padre Armelindo Costa. “O último roubo aconteceu em um domingo, há cerca de vinte dias.”

Na opinião do padre, os responsáveis pelo roubo são jovens e amadores. “Quem faz isso não deve ser profissional, pois os ladrões chegam a cortar os fios nas juntas e levá-los em pedaços. Entretanto, desconfio que não seja uma única pessoa, mas uma gangue que pode estar se especializando na atividade”, comenta.

Duas áreas de construções pertencentes à construtora L.N. Porto Fino, de Curitiba, também foram vítimas de ladrões. A primeira, localizada no município de São José dos Pinhais, teve a fiação elétrica e os cabos telefônicos levados há cerca de dois meses. Na segunda, localizada no bairro Campo Comprido, a ocorrência foi registrada há 20 dias. “Os ladrões levaram cerca de 6 mil metros de cabos e fios, dando-nos um prejuízo de cerca de R$ 30 mil”, revela o engenheiro da construtora, Diogo Capraro.

Ao contrário do padre Armelindo, Diogo não acredita que os ladrões sejam amadores. “Os fios e cabos, por serem pesados, foram cortados em pedaços de cinqüenta metros com tesoura especial. Quem fez isso não era inexperiente e sabia o que estava fazendo.” O engenheiro também acredita na existência de uma gangue e acha que a polícia deveria investigar para saber quem são os receptadores do material.

A Brasil Telecom, através de sua assessoria de imprensa, informou que, no último mês de abril, foram verificados 175 roubos de um total de 26 quilômetros de cabos telefônicos. No mês anterior, foram roubados 19 quilômetros em 128 episódios. A maioria das ocorrências é registrada na Região Metropolitana. Para minimizar o problema, a empresa agiliza o reparo dos danos causados pelos ladrões, mantém alarme monitorado 24 horas e incentiva a população a fazer denúncias através do número 0800-41-0802.

PM

Segundo a Polícia Militar, o cobre é bastante procurado por ser um dos principais condutores em diversos setores elétricos e eletrônicos. Quando o valor do produto aumenta, acaba sendo estabelecido um mercado paralelo formado por ladrões de fios e cabos e por receptadores do produto. “Estamos realizando investigações em parceria com a Polícia Civil, a Prefeitura de Curitiba e com empresas de telefonia e energia elétrica interessadas”, comenta o major da PM Roberson Luiz Bondaruk. “Algumas pessoas já foram presas, inclusive receptadores, mas não temos como colocar policiais para fazer patrulhamento só de fios de luz e cabos telefônicos.” A pena para quem for pego em flagrante roubando ou comprando os cabos e fios varia de dois a oito anos de prisão.