Foto: Divulgação
Armas de grosso calibre, drogas
e munição apreendidas.

Perseguição, troca de tiros e morte foi o saldo do desentendimento entre membros de uma quadrilha de traficantes de drogas, que há cinco meses vinha sendo caçada pela polícia de Ponta Grossa.

Com o confronto, um dos marginais morreu, a mulher dele foi baleada, e outros cinco bandidos foram detidos.

De acordo com o superintendente Bielik, da delegacia local, o bando estava sendo procurado desde outubro do ano passado. Na tarde de segunda-feira, houve um desentendimento entre eles e Joel Bueno, junto com a mulher, identificada como Silmara, foram perseguidos por Marcelo Freitas Vieira, Vinícius Jordani de Faria e Marcos Fabrício Jusczak.

Marido e mulher estavam em um Escort, trafegando por uma das estradas de acesso à cidade, quando foram perseguidos pelo trio que ocupava um Audi. O Escort ficou crivado de balas e Joel foi morto. A mulher dele, ferida no rosto, está internada em estado grave. O policial acredita que o atentado foi queima de arquivo, uma vez que o grupo é responsável por trazer drogas do Paraguai e abastecer a região dos Campos Gerais.

Presos

Policiais militares conseguiram seguir os assassinos e, em outra entrada de Ponta Grossa, o trio abandonou o veículo, fugindo para um matagal. Vinícius foi preso pelos PMs e os outros dois foram detidos na madrugada de ontem, por investigadores da Polícia Civil. "Como nós já estávamos investigando a quadrilha, fomos até a casa deles na Vila Mariana.

Lá encontramos Marcelo, um dos maiores traficantes da região, Fabrício e outro casal", disse o policial. Além do trio, os policiais detiveram Ezequiel Alves de Oliveira e Márcia Regina Jablonski. Na casa foram apreendidos três pistolas, duas espingardas, dois revólveres, sete quilos de crack, celulares, granadas, coletes à prova de balas, munição, uma caneta-revólver calibre 22, aparelhos de DVD e CD para carros, jóias e um motor de popa.