A decisão do primeiro turno do campeonato paranaense de futebol, ocorrida ontem, em Curitiba, transformou a cidade num campo de guerra desde manhã, levando medo e indignação a moradores de diversos bairros da cidade, que se viam ameaçados por torcedores descontrolados. As brigas entre as torcidas do Coritiba e do Atlético começaram muito antes do confronto entre os dois times, marcado para as 18h30 e vencido pelo Coritiba por 4 a 2. Por volta das 10h várias ocorrências de perturbação de sossego foram atendidas próximas ao Estádio Couto Pereira e em alguns terminais de ônibus, e uma briga envolvendo quase 200 pessoas deixou vários feridos na Cidade Industrial de Curitiba.

Por volta das 11h, um grupo de mais de 100 pessoas com camisa do Clube Atlético Paranaense, que seria do Morro do Piolho, cruzou o viaduto do Caiuá, na Rua Raul Pompéia, e surpreendeu mais de 30 torcedores do Coritiba Football Club. A briga durou intensos 20 minutos até a chegada da Polícia Militar.

As torcidas se dispersaram e, pelo chão, ficaram rastros de sangue em meio a pedaços do asfalto, pedras, tijolos e madeira quebrada. Moradores da região garantem ter ouvido tiros. “Tinha até uma mulher com uma criança em um braço e um pedaço de pau no outro, batendo nos ‘coxas’”, conta uma das moradoras.

Veículos que passavam pelo local no momento em que iniciou a briga foram apedrejados. As pedras chegaram também a atingir um condomínio que fica em frente ao viaduto. Ninguém foi preso. Acredita-se que várias pessoas se feriram, mas não houve registro, por parte da Polícia Militar, de entrada de baleados ou vítimas de agressão em hospitais da região.

Mais

Durante a tarde, as brigas continuaram. Mais torcedores entraram em confronto na Avenida Affonso Camargo, no limite entre Curitiba e Pinhais, pouco antes das 13h30.

No mesmo horário, no Santa Cândida, a Polícia Militar conteve cerca de 50 atleticanos na Rua José Romano e outros torcedores que causavam tumulto na Rua das Carmelitas, no Boqueirão. Na esquina entre a Avenida Izaac Ferreira da Cruz e a BR-116, a Linha Verde, no Pinheirinho, cerca de 100 pessoas com camisa do Coritiba apedrejaram carros.

A confusão também preocupou moradores da região metropolitana. Às 16h30, durante a escolta de um ônibus com torcedores da Império Alviverde, guardas municipais de São José dos Pinhais identificaram duas mulheres que guardavam um revólver calibre 22.

Suelen Cristina Nogueira, 34 anos, e Daniele Cristina de Oliveira, 19, foram encaminhadas para a delegacia local. Uma delas deverá ser autuada em flagrante por porte ilegal de arma.